Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Técnicas de congelamento e descongelamento – Carnes (“IN NATURA”)

Dicas de congelamento e descongelamento de carne

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Congelamento

Todos os tipos de carnes podem ser congelados, desde que observadas as condições sanitárias e higiênicas. Compre carnes em lugares de sua confiança e congele o mais rapidamente possível. Mantenha a carne sobre refrigeração até a hora de preparar. Não lave a carne a ser congelada.

Toda carne, imediatamente após o abate, deve passar por um período de maturação, que é o período de descanso para a carne perder a rigidez. Para isso, deve ficar pelo menos 24 horas em refrigeração antes de ser congelada.

Se quiser economizar, compre peças inteiras de carne, corte em pedaços adequados, embale e congele. Ao congelar peças grandes de carne, corte-a em pedaços de aproximadamente 2,5 kg, pois pedaços grandes demoram muito para congelar e pode haver formações de grandes cristais de gelo, danificando a carne ao descongelar. Além disso, as carnes devem ser congeladas em porções adequadas ao seu consumo, pois uma vez descongeladas só podem voltar ao freezer como prato pronto.

Embale a carne em plástico, filme de PVC ou coloque em plástico rígido. Não utilize papel alumínio em carne crua para não oxidar. Em bifes, hambúrgueres e pedaços pequenos de carne pode ser usado o congelamento em aberto.

Não congele carne com muita gordura, pois estraga mais rápido. Ossos ocupam muito espaço e podem furar a embalagem. Evite congelar carne crua temperada, pois pode escurecer e alterar seu sabor. Bifes à milanesa podem ser congelados crus, já temperados.

Carne de porco também deve ser congelada logo após a compra e deve se retirar o excesso de gordura.

Miúdos devem ser congelados logo após a compra, pois são muitos perecíveis e o tempo de estocagem é menor. O presunto cozido também. Linguiças e salsichas podem ser congeladas na própria embalagem ou soltas. Embutidos como salame, copa e paio são muito fortes e acentuam muito o sabor no freezer. Bacon fatiado pode ser congelado na própria embalagem, e em pedaços deve ser embalado para não transferir o cheiro.

As carnes moídas deterioram mais rápido, pois ao passar na máquina, se quebram em partículas muito pequenas, propiciando a contaminação e deterioração. Por isso, o seu prazo de estocagem é bem menor. Compre carne moída em estabelecimentos de confiança e peça para moê-la com pouca gordura.

 

Descongelamento

O descongelamento ideal de carne “in natura” é efetuado no refrigerador, de um dia para o outro, para manter melhor suas propriedades. O forno de micro-ondas também é rápido. Carnes congeladas individualmente como bifes, hambúrgueres, à milanesa podem ser descongelados diretamente em frigideira. Salsichas e linguiças podem ser descongeladas diretamente na panela, em água. No caso das linguiças, ao secar a água, ela está descongelada e pronta para começar a fritura. Carnes de porco devem ser totalmente descongeladas antes de serem preparadas.

Em pratos prontos, deixe na geladeira de um dia para outro, ou aqueça em micro-ondas, considere, para 500g de alimentos, o tempo de 6 a 8 minutos na potência média alta (7) ou deixe em temperatura ambiente por 2 horas e esquente normalmente em panela ou forno.

 

Tempo de estocagem

CARNE DE BOI FRESCA            Até 12 meses
CARNE MOÍDA

3 MESES

BIFES

6 meses

MIÚDOS

3 meses

CARNE DE PORCO FRESCA

4 meses

CONGELADA COMERCIALMENTE

2 meses

BACON E PRESUNTO COZIDO

2 meses

TENDER

4 meses

CARNEIRO E CABRITO

7 meses

VITELA

4 meses

LINGÜIÇA E SALSICHA

2 meses

FRIOS

2 meses

 

2 pensou em “Técnicas de congelamento e descongelamento – Carnes (“IN NATURA”)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest