Amor ou dependência afetiva? – Receitas Pra Você

Amor ou dependência afetiva?

Amor ou dependência afetivaO próprio relacionamento dá sinais de dependência afetiva nas mulheres

Um número muito grande de mulheres, em menor ou maior grau e em determinados momentos de sua vida, depende afetivamente de seus parceiros, ou seja, são pessoas cujas vidas se orientam em função de relacionamentos afetivos, e não em função de uma vocação ou de um sentido na vida. São mulheres que não se conhecem verdadeiramente e que colocam os outros em primeiro lugar, sempre dispostas a abrir mão da própria identidade para não ficarem sozinhas.

Na base desse transtorno, está uma profunda carência afetiva, uma falta de nutrição emocional que se originou em sua história de vida.

Diretamente ligada a afetos primários

Pais ausentes, negligentes ou aqueles excessivamente rígidos e incapazes de demonstrar afeto estão geralmente presentes na vida de quem sofre dependência afetiva.

As primeiras experiências afetivas de um dependente emocional, na maioria dos casos, foram frustrantes, insatisfatórias e frias. A mulher dependente não foi, em sua maioria, adequadamente querida e valorizada por pessoas significativas.

Tendo recebido pouca atenção quando criança, tenta diminuir sua carência tornando-se altruísta, dando aos outros mais do que lhe é pedido, esperando receber em troca o carinho de que necessita.

Medo de ser abandonada

A mulher dependente afetivamente não foi amada nem aprendeu a amar de forma saudável, por isso repete o mesmo comportamento com o parceiro. Com medo de ser abandonada, faz de tudo para evitar que o relacionamento acabe. Acostumada à falta de amor nas relações pessoais, está disposta a abrir mão do seu tempo, sonhos e metas para agradar ao parceiro e manter o relacionamento.

No fundo, não acredita que mereça ser feliz. É dependente do parceiro e da dor emocional que um relacionamento disfuncional lhe proporciona. Essa dor é, na verdade, a única forma de contato que tem com seus próprios sentimentos. A mulher dependente afetiva cresceu com essa dor e a confunde com amor.

Você também pode gostar...

DEIXE SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *